MundoDocker no DevOpsWeek

Oi Pessoal,

O Ano começou a todo vapor aqui para o MundoDocker, e hoje queremos convidar a todos para se inscreverem no DevOpsWeek, um dos maiores eventos sobre o assunto DevOps, Desenvolvimento/Infra ágil do Brasil.

Participaremos do evento com a apresentação: Deploy Integrado com Docker, é o assunto do momento, e o objetivo é tirar dúvidas e dar ideias de como o você pode usar Docker para automatizar suas rotinas, e claro acelerar seus processo de desenvolvimento.

Veja abaixo a chamada para o evento que gravamos, te liga:

Ficou interessado? Então te inscreve, o evento é online e gratuito!!! Acesse: http://devopsweek.com.br

 

Por hoje era isso, e fique atento pois teremos mais novidade aqui no Blog.

Grande abraço!

Entusiasta Open Source, seu principal foco é ir atrás de ideias novas e torna-las realidade através de soluções simples e eficientes, o menos é mais, e o dividir é multiplicar.

Docker – AUFS

Olá pessoal,

AUFS foi o primeiro controlador de armazenamento em uso com Docker, como beneficio tem uma história longa com Docker. É muito estável, tem grandes implementações no mundo real e possui forte apoio da comunidade, o AUFS possui diversas características que acabam o tornando uma boa escolha para uso com Docker. Entre elas estão:

  • Tempo de inicialização do container rápido
  • Uso eficiente de armazenamento
  • Uso eficiente de memória

Apesar de ter uma ampla capacidade de caracteristicas com Docker, algumas distribuições não possuem suporte ao AUFS, pois ele não está incluído na linha principal do Kernel Linux, no caso do RHEL não é suporte AUFS.

Os tópicos seguintes demonstram algumas características do AUFS e como ele se relaciona com o Docker:

 

Layers de Imagens:

AUFS é um sistema de unificação de arquivos, isso quer dizer que ele leva vários diretórios em um único host linux, colocando um sobre o outro e fornece uma visão unificada desses arquivos para conseguir isso o AUFS usa uma união de montagem.

O AUFS driver de storage do Docker implementa Layers de imagens utilizando usando a união do sistema montado. Abaixo podemos ver um exemplo de Layers, onde para o cliente é apresentado a união de todas elas:

 

layer1

 

Utilizando arquivos:

O Docker utiliza a tecnologia de “AUFS CoW”  para conseguir compartilhar a imagem e minimizar o uso de disco. Como o AUFS trabalha em nível de arquivos então todos os dados são copiados por inteiros para a camada superior mesmo que modificando uma pequena parte do arquivo, isso faz com que dependendo do tamanho de arquivo que será copiado acabe penalizando um pouco o desempenho do container, pois um arquivo muito grande demorará algum tempo para que seja copiado. Ou também a imagem possui uma grande quantidade de camadas e o arquivo que você deseja utilizar está na primeira camada da imagem.

A ordem de procura é de cima para baixo, então caso seja a primeira vez que o usuário irá utilizar aquele arquivo, então o Docker vai procurar esse arquivo nas suas camadas abaixo e copiar todo o seu conteúdo para a camada gravável do container. Porém o arquivo só é copiado na primeira vez, após isso o esse arquivo já está na ultima camada então todas as demais operações são rápidas.

Deletando arquivos:

O driver do AUFS exclui um arquivo de dentro do container colocando um arquivo whiteout na camada gravável do container. O arquivo whiteout obscurece a existência do arquivo nas camadas inferiores de imagem:

 

 

layers2

 

 

Você pode adicionar o driver AUFS no seu daemon docker editando o arquivo de conf do docker e adicionando:

DOCKER_OPTS="--storage-driver=aufs"
systemctl restart docker

 

Então ta pessoal esse é nosso primeiro post dessa série que vai mostrar para vocês os drivers de armazenamento nativos do Docker.

 

Trabalha em uma Startup com foco em Plataforma como Serviço (PaaS), é especialista em Cloud Computing e Conteinerização, desenvolve todo dia uma nova maneira de resolver problemas e criar coisas novas.

Melhores praticas Dockerfile

Muitas pessoas pensam que construir uma imagem é apenas iniciar um container, realizar algumas alterações e assim realizar o commit da mesma. Ou até mesmo escrever um Dockerfile do jeito que quiser e pronto a imagem está pronta e agora é só colocar em produção. Com algumas técnicas na criação do Dockerfile é possível fazer o seu Build passar de 10 minutos para apenas 10 segundos.

Baseado nas dúvidas que o pessoal acaba tendo no dia a dia resolvemos a equipe do mundodocker.com.br resolveu dar algumas dicas referentes a como deixar o seu Dockerfile o mais otimizado possível.

Use o .dockerignore

O .dockerignore possui a mesma funcionalidade do .gitignore, fazendo com que você possa gerar a sua imagem excluindo alguns arquivos que estejam no diretório do seu Dockerfile.

Não instale pacotes desnecessários

Para reduzir o tamanho de sua imagem e o tempo de construção dela, não instale pacotes que você acha que poderá usar um dia, instale apenas o necessário para que sua aplicação possa rodar de forma integra e segura. Muitas vezes pacotes desnecessários possuem uma série de dependências o que pode acarretar um tempo maior de construção da imagem.

Construa o minimo de camadas possíveis

Cada comando “RUN”, “COPY”, “ADD” acaba adicionando uma camada a mais em sua imagem, então quanto mais comandos conseguir executar de uma vez só melhor.

Use tags

Quando você for realizar o docker build utilize o parâmetro -t para que você possa organizar melhor sua estrutura de imagens e no desenvolvimento ficará mais fácil para saber o qual release essa imagem representa.
docker build . -t php:56-0-4

apt-get

Nunca utilize apenas apt-get update utilize sempre apt-get update && apt-get install. Por exemplo você tem o seguinte Dockerfile:


FROM UBUNTU
apt-get update
apt-get install wget

Você executa isso e depois de algum tempo você altera o Dockerfile e coloca assim:


FROM UBUNTU
apt-get update
apt-get install wget vim

Ao executar o build o Docker não irá executar o apt-get update fazendo com que o vim esteja desatualizado no momento da instalação.

Nunca mapear a porta pública no Dockerfile

Você NUNCA deve mapear a porta do seu host em seu Dockerfile:


#Não faça isso
EXPOSE 80:8080

#Faça isso
EXPOSE 80

Deixe sempre o que mais será alterado para o final

Como o Dockerfile trabalha com camadas, então você sempre devera deixar para o final a parte que é mais dinâmica em seu Dockerfile, pois ao rodar o seu Dockerfile pela segunda vez, o Docker irá olhar onde foi modificado o arquivo e irá refazer as camadas abaixo da modificação. Então se você tem uma parte que demora algum tempo e você não irá precisar modificar ela constantemente então é melhor você deixar essa parte no topo.


FROM ubuntu
RUN apt-get install -y nodejs
RUN mkdir /var/www
ADD app.js /var/www/app.js

FROM ubuntu
RUN apt-get install -y nodejs
RUN mkdir /var/www
ADD package.json /var/www/package.json

Nessa alteração de Dockerfile o Docker irá apenas refazer a camada do ADD e não irá baixar novamente o node e criar o diretorio /var/www. Assim economizando tempo de Build e também tamanho em disco.

Então tá pessoal espero que tenham gostado desse post referente a dicas de como criar melhor o seu Dockerfile. Qualquer dúvida é só deixar um comentário que iremos reponder o mais rápido possível.

Trabalha em uma Startup com foco em Plataforma como Serviço (PaaS), é especialista em Cloud Computing e Conteinerização, desenvolve todo dia uma nova maneira de resolver problemas e criar coisas novas.

MundoDocker no DevWeek – POA

Oi Pessoal,

Ontem participamos de um evento realizado pela iMasters, o DeveloperWeek, e na edição de Porto Alegre fomos convidados a fazer uma apresentação sobre Docker, e claro nós fomos :), queremos neste post compartilhar com vocês o conteúdo que apresentamos, assim como o vídeo demonstrando na prática como o Docker pode auxiliar as equipes de DevOps. veja:

                                                                                                                                                                     

No final do evento recebemos um presente do pessoal da iMasters pela contribuição 🙂

DevWeek

E fica o convite para o segundo MeetUp sobre Docker em Porto Alegre: http://www.meetup.com/Docker-Porto-Alegre e claro para o TcheLinux POA: http://poa.tchelinux.org, estaremos em ambos os eventos 😉

Fique atendo as novidades, e nos ajude divulgando o Blog.

Abraço!

Entusiasta Open Source, seu principal foco é ir atrás de ideias novas e torna-las realidade através de soluções simples e eficientes, o menos é mais, e o dividir é multiplicar.