Olá pessoal,

Hoje vamos ver como damos o pontapé inicial com Docker, vamos começar com a instalação e depois algumas informações básicas sobre alguns comandos.

Usuários que tem o seu sistema baseado em Debian podem usar o apt-get ou o aptitude:

sudo apt-get update
sudo apt-get install docker.io

Usuários que tem o seu sistema baseado em RedHat podem usar o yum:

yum install docker

A versão de Docker que estou utilizando é a versão 1.6.2 que é a versão mais nova até hoje. Na instalação default de ambiente de Docker as configurações principais de seus contêineres ficam em /var/lib/docker aqui você pode encontrar o .json de todos os seus containers com suas respectivas configurações, em nossos próximos posts estaremos mostrando o que significa cada parâmetro e como podemos melhorar a performance de nosso ambiente. Agora vou mostrar para vocês os comandos que temos no Docker:

docker attach  – Acessar dentro do container e trabalhar a partir dele.
docker build   – A partir de instruções de um arquivo Dockerfile eu possa criar uma imagem.
docker commit  – Cria uma imagem a partir de um container.
docker cp      – Copia arquivos ou diretórios do container para o host.
docker create  – Cria um novo container.
docker diff    – Exibe as alterações feitas no filesystem do container.
docker events  – Exibe os eventos do container em tempo real.
docker exec    – Executa uma instrução dentro do container que está rodando sem precisar atachar nele.
docker export  – Exporta um container para um arquivo .tar.
docker history – Exibe o histórico de comandos que foram executados dentro do container.
docker images  – Lista as imagens disponíveis no host.
docker import  – Importa uma imagem .tar para o host.
docker info    – Exibe as informações sobre o host.
docker inspect – Exibe r o json com todas as configurações do container.
docker kill    – Da Poweroff no container.
docker load    – Carrega a imagem de um arquivo .tar.
docker login   – Registra ou faz o login em um servidor de registry.
docker logout  – Faz o logout de um servidor de registry.
docker logs    – Exibe os logs de um container.
docker port    – Abre uma porta do host e do container.
docker pause   – Pausa o container.
docker ps      – Lista todos os containers.
docker pull    – Faz o pull de uma imagem a partir de um servidor de registry.
docker push    – Faz o push de uma imagem a partir de um servidor de registry.
docker rename  – Renomeia um container existente.
docker restart – Restarta um container que está rodando ou parado.
docker rm      – Remove um ou mais containeres.
docker rmi     – Remove uma ou mais imagens.
docker run     – Executa um comando em um novo container.
docker save    – Salva a imagem em um arquivo .tar.
docker search  – Procura por uma imagem no Docker Hub.
docker start   – Inicia um container que esteja parado.
docker stats   – Exibe informações de uso de CPU, memória e rede.
docker stop    – Para um container que esteja rodando.
docker tag        – Coloca tag em uma imagem para o repositorio.
docker top        – Exibe os processos rodando em um container.
docker unpause – Inicia um container que está em pause.
docker version – Exibe as versões de API, Client e Server do host.
docker wait   – Aguarda o retorno da execução de um container para iniciar esse container.

Esses são todos os comandos que possuímos na versão 1.6.2 do Docker. Nos próximos posts estaremos mostrando como utilizar todos esses comandos e em qual momento devemos escolher entre um e outro.

Ficou com dúvida? Gostaria de saber mais? Algum feedback a nos dar? Deixe sua mensagem e vamos conversando.

Abraço!

Trabalha em uma Startup com foco em Plataforma como Serviço (PaaS), é especialista em Cloud Computing e Conteinerização, desenvolve todo dia uma nova maneira de resolver problemas e criar coisas novas.