Oi Pessoal!

No último dia 02 de março, o Docker anunciou uma grande mudança em sua plataforma, lançando oficialmente a versão enterprise da engine de containers mais utilizada atualmente. Mas o que muda? Responderemos isso e mais algumas outras dúvidas neste post!

Esse movimento adotado pelo Docker em, dividir, as versões da sua engine é algo já esperado pela comunidade, e para alguns veio até tarde. Mas por que isso agora? Por um motivo simples, produto. O Docker vem já algum tempo sendo desenvolvido como uma plataforma, agregando a cada nova release alguma correção que resolve um problema ou uma feature que melhora algum aspecto da engine.

Agora temos claro as linhas de trabalho do Docker, e como serão realizadas as atualizações na plataforma. As entregas de novas features, correção de bug, etc, seguiram a mesma linha adotada por outras empresas, ou seja, correção de bug e fix mais frequentes do que novas features, com isso a comunidade não precisará aguardar tanto tempo para ter uma correção já na engine.

Para ficar mais claro, dá uma olhada nessa imagem:

Docker Enterprise Edition

Fonte: https://blog.docker.com/2017/03/docker-enterprise-edition

Como você pode notar, as entregas para a versão community serão mais frequentes, e serão baseadas em correções e fix, tendo uma cadência mensal. Já entregas que envolvem novas features ou mudanças significativas nas engine serão realizadas a cada três meses. Já a versão enterprise terá apenas entregas trimestrais, com correções e novas features (caso tenha é claro) e o suporte será de um ano, baseado na data de lançamento.

Mas por que essa agora?

Há algum tempo estamos divulgando, ensinando e ajudando diversos públicos ao uso do Docker, tendo em vista versatilidade dessa plataforma, é claro e obvio a necessidade de adaptação do modelo de negócio para atender esses públicos, por exemplo:

Note que são perfis diversos, com necessidades e expectativas diferentes, mas em algum momento complementares. A versão enterprise do Docker visa o público que não quer apenas brincar, mas sim colocar em produção e disponibilizar para cliente.

Na imagem acima temos um apanhado geral das diferenças e onde cada versão é aplicada. Isso quer dizer que não posso colocar o Docker CE em produção? Não, isso quer dizer que se você usar a versão enterprise terá mais facilidade, já com a versão community será possível mas você terá mais trabalho.

 

Mudou o nome?

Sim, a versão community será algo parecido com isso:

# docker -v
Docker version 17.03.0-ce, build 60ccb22


Não teremos mais a nomenclatura de 1.xx, teremos então: ano.mes com a distinção entre CE e EE.

 

Tem mais alguma coisa nova?

Sim!!! Você já deve ter visto no anuncio oficial, agora há uma forma de você certificar seu ambiente seguindo as diretrizes do Docker, está disponível a Docker Store, um hub para publcação de recursos oficialmente homologados pelo Docker. Com isso, se você desejar criar um plugin para o Docker, por exemplo, você pode, atendendo uma série de requisitos, ter este plugin homologado e com certificado do Docker, o que obviamente aumenta sua relevância para quem usa.

Mas o que o Docker quer com isso? Te lembra daquelas imagens ali de cima, onde eram ilustrados os diferentes públicos que o Docker atende? Pois bem, dessa forma o Docker provê um recurso oficial, homologado e com o selo de aprovação deles para plugins, imagens, S.O, etc., atendendo assim a uma necessidade do mundo enterprise: “É confiável? Quem mantém?” dentre outras questões que este publico levanta no momento de decidir entre tecnologias.

Resumo, sim, o Docker acaba de se dividir em Community e Enterprise, até onde as coisas legais estarão na versão community só Deus sabe, mas a tendência é que sempre tenhamos  com o que brincar. E claro, para quem não quer perder tempo fazendo tudo na mão, existe a enterprise, que facilita tudo o que é possível.

Ufa, agora sim acabou 🙂

Nos ajude divulgando o blog! Grande abraço!

 

Entusiasta Open Source, seu principal foco é ir atrás de ideias novas e torna-las realidade através de soluções simples e eficientes, o menos é mais, e o dividir é multiplicar.